Futebol

Fortaleza empata com Sampaio Corrêa e está na final da Série C

-08 fortaleza

O lateral-esquerdo Bruno Melo, anteriormente contestado, fez dois gols diante do Sampaio Corrêa e, de novo, se notabilizou decisivo ( Foto: JL Rosa )

Fortaleza desperdiça boas chances, empata com Sampaio Corrêa e está na final da Série C

Em São Luís, Tricolor de Aço e Bolívia Querida ficam no 2 a 2. O lateral-esquerdo Bruno Melo marcou os dois tentos leoninos. Tricolor busca inédito título nacional

O Fortaleza está na final da Série C do Campeonato Brasileiro. Após ter vencido a primeira partida por 1 a 0, o time de Antônio Carlos Zago desperdiçou inúmeras chances de gol, levou sufoco e empatou com o Sampaio Corrêa por 2 a 2, com dois gols assinalados por Bruno Melopara o Leão. Marlon, de pênalti, e Maracás fizeram os tentos da “Bolívia Querida”. O Leão vai em busca do inédito título nacional.

A equipe cearense vai jogar contra o CSA que venceu o São Bento nos pênaltis em duelo também no sábado, no Estádio Rei Pelé. Na partida de ida, em Sorocaba, os alagoanos – comandados pelo técnico Flávio Araújo – superaram os paulistas por 1 a 0.

Controle das ações

Logo nos primeiros minutos, mais precisamente aos oito, o técnico Zago se viu obrigado a efetuar a primeira alteração em decorrência de lesão do meia Everton. O atacante Jô, substituto natural, teve de ingressar precocemente na partida. O veloz atacante teve boas oportunidades, mas as desperdiçou.

Durante boa parte do primeiro tempo, o Fortaleza estabeleceu domínio das ações com e sem bola. As cinco mexidas promovidas pelo técnico Francisco Diá visavam dar maior dinâmica, mobilidade nas ações ofensivas; no entanto, na prática, o Leão conseguiu o antídoto e não permitia aproximação dos atletas velozes da linha de frente maranhense. O Tricolor constantemente dobrava a marcação pelos lados e obrigava jogadas individuais frustradas por parte de jogadores como Uilliam e Reginaldo Jr.

O gol dos cearenses veio aos 26 minutos, após cobrança de falta pela direita de Leandro Lima, o goleiro Alex Alves se atrapalhou todo na dividida pelo alto, e a bola sobrou para Bruno Melo, livre de marcação, concluir de frente para o gol vazio com o pé esquerdo. De jogador contestado à peça imprescindível na campanha do acesso à Série B.

A primeira chegada do Sampaio Corrêa ocorreu aos 38 minutos, quando Uilliam recebeu, virou e arriscou de fora da área. A pancada de longe exigiu ótima defesa de Marcelo Boeck.

Segundo tempo dramático

Na etapa complementar, Diá mandou a campo o atacante Isac, artilheiro dos maranhenses na competição e de boa presença na área. E o que se viu em campo foi uma Sampaio Corrêa procurando jogadas verticais para acionar seu matador. Aos 12, o Tricolor chegou com Hiago, mas o zagueiro Odair Lucas se jogou na bola impedindo o tento leonino.

Aos 22 minutos, o árbitro Heber Roberto Lopes marcou pênalti após Ligger juntar os braços ao corpo e não aumentar sua extensão corporal. Equívoco do apitador que poderia ter custado caro.Marlon foi pra bola, Marcelo Boeck acertou o canto, mas a cobrança foi bem executada. Números iguais no placar.

O gol da virada da Bolívia Querida veio aos 38 minutos, quando, em cobrança de escanteio, o zagueiro Maracás subiu mais que todo mundo, Boeck ainda tocou na bola, mas não evitou que a redonda entrasse. Virada dos maranhenses que precisavam de mais um gol para se classificarem.

Como o Sampaio Corrêa era todo ataque, os espaços para contragolpes leoninos eram concedidos em série. Em um deles, Jô avançou pela direita, foi derrubado no último minuto da partida, aos 49, e o árbitro marcou pênalti. O lateral Bruno Melo, a exemplo da primeira partida diante do Tupi, pelas quartas de final, pegou a bola e executou a cobrança. Dessa vez, goleiro para um lado e bola para o outro. Cobrança de extrema categoria.

Depois, não havia tempo para mais nada. 2 a 2 no placar e Fortaleza garantido na final em busca do inédito título.

Você pode gostar

Deixe seu comentário