Futebol

CSA repudia escalação de árbitros cearenses

CSA documentou a reclamação e a enviou para a CBF ( Foto: reprodução/Facebook )

CSA protesta contra arbitragem cearense na Série B; Fortaleza discorda

Para Marcelo Paz, reclamação não passa de uma tentativa de criar mais pressão para os juízes

A disputa pelo título da Série B do Campeonato Brasileiro está acirrada também nos bastidores do certame. No último domingo (9), o Centro Esportivo Alagoano (CSA) emitiu uma nota nas redes sociais repudiando a escalação de um trio de arbitragem cearense para o jogo da equipe diante do Vila Nova, válida pela 27ª rodada. Para o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, a reclamação não passa de uma tentativa do clube alagoano de criar ainda mais pressão nos juízes.

“Eu acho que a competição não envolve apenas o Fortaleza e o CSA. Se partir da lógica que dentro da disputa também tem times goianos, paulistas, catarinenses, então nenhum árbitro desses estados poderia apitar jogos do times de outros estados envolvidos na briga pelo acesso”, declarou.

O dirigente também afirmou que o Leão é o time “mais prejudicado por erro de arbitragem” em toda a Série B. Para Marcelo Paz, independente do estado de origem do juiz, os melhores devem apitar os principais jogos.

“Nosso pleito é que árbitros de bom nível, quer estejam em ritmo constante de jogos, apitem os jogos mais decisivos”, destacou.

Segundo levantamento do jornalista Tom Barros, o Tricolor perdeu pelo menos cinco pontos nas partidas diante de Avaí, CRB e Figueirense, todas por conta de gols mal anulados, permitindo então que a vantagem na liderança fosse diminuída.

Reclamação

O Azulão é o vice-líder da competição com 46 pontos, apenas um atrás do Fortaleza, e pode assumir a ponta provisoriamente em caso de vitória nesta terça-feira (11), às 19h, no Estádio Rei Pelé, em Maceió/AL. A diretoria do time alagoano solicitou um “observador especial” para o juiz Leo Simão Holanda, além dos auxiliares Nailton Junior e Jailson Albano, todos filiados à Federação Cearense de Futebol.

Através da nota, a equipe comandada pelo técnico Marcelo Cabo reiterou que “qualquer erro ou situação semelhante que possa vir a acontecer no jogo, pode se tornar embaroçosa para todas as partes”. O clube documentou a reclamação e a enviou tanto para a CBF quanto à Federação Alagoana de Futebol, ressaltando também que o Fortaleza Esporte Clube não deve ter juízes de Alagoas durante as partidas para efeito de ‘justiça” na Série B.

“Estamos em um dos momentos mais importantes de nossa história e não podemos permitir que qualquer situação venha atrapalhar o belo trabalho que estamos desempenhando. Representamos milhares de torcedores e diante dessa responsabilidade, nos antecipamos aos fatos”, finaliza a mensagem.

Você pode gostar

Deixe seu comentário